Excertos

(…)

Felipower fez um esforço, mas depois que a mãe falou da alcachofra não conseguia pensar em outra coisa. Afinal, era algo muito estranho comer uma flor. Lembrou-se, então, que enquanto mastigava o coração da alcachofra pensou sobre coisas estranhas.

(…)

Felipower tinha um objetivo nesse passeio: reencontrar o losango com a luz no centro, aquele que fizera com que ele voltasse para seu mundo. Mas não seria tarefa fácil encontrá-lo, porque os objetos movimentavam-se constantemente e não havia nada que pudesse indicar o lugar exato do losango. Então, pediu para Feliporquê ajudá-lo a montar objetos.

 – A gente só precisa juntá-los, Porquê.

 – Mas, por quê?

 – Eu não preciso te falar o porquê, Porquê! Porque você verá o porquê, entende?

Os meninos começaram a juntar algumas formas, montando novos objetos. Mas nada acontecia. Felipower olhou para o companheiro e levou um susto. Ele estava meio transparente.
Porquê, você está ficando difícil de enxergar!

(…)

 – O que… quem é você?

 – Meu nome é Felipequeno.

 – Você só pode estar brincando!

“Será que o Porquê está no Pequeno?” – pensou Felipower com cara de análise.

(…)

Na natação, durante um mergulho, pensou “Será que existe algum Felipeixe em algum mundo aquático?” E soltou uma gargalhada borbulhante.

Exemplares à venda com a autora (com precinho especial e dedicatória) por meio do formulário de contato

ou nas seguintes livrarias:
Cultura
Asabeça
Martins Fontes Paulista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s