Meio conto

Descobriu meu ponto fraco
Sob impacto a todo momento
Foi tornando tornado tormento
Me deixou sob encanto animal
Me puxou para um canto de caos
Sem nenhum esforço em virtude
Mirou meu pescoço a longitude
Numa atitude de predador
Obviamente sem flor sem amor
Fez minha alma sentir o arrepio
Feito um lobo carente bebendo no rio
Fugiu do ocaso causou o causo
Feito um doce vampiro sem lar
Sei lá, quis beijar minha jugular
Logo eu que desprezo o profano
Mas também erro e cometo enganos
E para riscar do mapa essa patifaria
Quebrar o encanto dessa feitiçaria
Tomei um porre da melhor poesia
Matei o cupido de fantasia
Sustei a libido que só ludibria
Joguei um gole de melancolia pro santo
E como por encanto
Saquei do bolso uma estaca de carvalho
Um pente de osso velho e um dente de alho
Nada mais justo
Empoderada matei o moço
Que ao ouvir minha gargalhada
Morreu de susto.

(Son dos Poemas – Sonia Gonçalves)

Clique para conhecer mais trabalhos da autora:
pensador.com/colecao/soniamgoncalves
recantodasletras.com.br/escrivaninha
carmovasconcelos-fenix.org
shakespearecomigoblogspot.blogspot.com.br
sopoesie.blogspot.com.br
cronicasonlines.blogspot.com.br
festimdeversos.blogspot.com.br
escrevendohapoema.blogspot.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s